Anvhar Trotsk

Description:
Bio:

Nascimento: 14 de Mirtul de 1308 CV
Falescimento: 22 de Flamerule de 1372 CV

Outros Pseudônimos: nenhum
Raça: Anão do Escudo
Classe: Guerreiro Domador de Feras
Altura: 1,31 m (1,64m com colete de Ordashroud)
Peso: 98 kg
Olhos: Pretos
Cabelos: Ruivos
Traços Peculiares: Caolho do olho direito
Parentes conhecidos: Doher Trotsk (avô clérigo de Clanggedin que aventurou com Nirvus Frank, falecido), Trarkin Trotsk XI (pai, falecido na batalha de Trotskhard), Dyarna Trotsk (esposa, falecida), Asgard Trotsk II (filho, falecido), Berundar Trotsk (primo de quinto grau, falecido na Batalha de Trotskhard), Thoromnir Trotsk (tio paterno), Thulik Trotsk (sobrinho)
Local de nascimento: Trotskhard, reino anão nos Picos Cinzentos
Ocupações Anteriores: Aventureiro, Mercenário à serviço de Cormyr, Taberneiro, Chefe da Guarda da Cidadela Stik, Diretor de Armas da ARFEA
Ocupação Atual: Inaplicável – Falecido
Aliados: Roswald, Petrukill, Snake, Lobo, Obi (falecido), Calimaco (falecido), Fahn, Iasha
Inimigos: Graz’zt, Yutrashorgum (falecido), H’largh Mosh, Smaug (falecido), Groborg Lâmina Sangrenta (falecido), Razim Newthongue (falecido), Zhentarim
Mestre: Diversos tutores em Trotskhard
Grupos a que era associado: Reino de Trotskhard, Reino de Cormyr, Guarda da Cidadela Stik, ARFEA

Pertencente a uma extensa dinastia de regentes anões, Anvhar Trotsk desde jovem demonstrou aptidão para o caminho das armas. De postura honrada e espirito inquieto, o então príncipe anão resolveu aventurar-se pela superfície em busca de experiência e glória, vindo a juntar-se a Sinclair, Fahn e Snake no que seria a segunda formação do grupo de heróis de Brightstone.

Junto a seus colegas, Anvhar caçõu dragões escondidos na Floresta do Rei e nos Pântanos da Vastidão, vindo a se envolver com o Culto do Dragão, se mostrou primordial na luta do grupo contra um Dragão Lich. Posteriormente, durante um ataque de hobgoblins ao feudo do Paladino Fahn, local onde o grupo se estabelecia na época, Anvhar veio a conhecer o clérigo Meio-Orc de Grumsh, H’Largh Mosh. Devido à ojeriza natural de Anvhar por Orcs e às diferenças de ideologias dos mesmos, ambos viriam a se tornar grandes inimigos.

Os fatos que vieram a acontecer em seguida, no entanto, foram deveras perversos com o herói anão, usando-se de uma misteriosa pirâmide que estava no reino anão de Trotskhard desde antes de sua fundação, cultistas vieram a invocar dos Nove Infernos o demônio Yutrashorgun, usando como sacrifício o próprio filho de Anvhar. Apesar de eventualmente vir a auxiliar na derrota de Yutrashorgun e de seu anti-paladino, o fato de não ter conseguido impedir a morte de seu filho e mulher viria a assombrar Anvhar pelo resto de seus dias.

Posteriormente, durante a chamada “saga dos Três Deuses” o reino inteiro de Trotskhard veio a ser destruído por orcs comandados por Groborg Lâmina Sangrenta a mando de Smaug, que procurava a mesma pirâmide usada por Yutrashorgum, a qual se encontrava enterrada no reino e que houvera sido escolhida como local de falecimento de uma divindade há muito tempo atrás. Após esses acontecimentos, Anvhar passou boa parte de seus dias auxiliando os sobreviventes do ataque a Trotskhard e caçando os orcs na companhia do ranger elfo Petrukill Mephin, com quem veio a criar uma forte amizade. Enquanto isso, em Brightstone Keep, H’largh Mosh veio a sacrificar a montaria de Anvhar, o javali Obi, se tornando uma múmia-orc dotada de poderes advindos do panteão órquico.

Eventualmente, na companhia de Petrukill e Roswald, Anvhar descobre a ligação dos orcs com Smaug, os quais haviam sido contratados por Razim Newthongue, arauto de Smaug, para que o dragão vermelho usasse o Caixão Negro retirado da pirâmide do reino de Trotskhard para forjar armas de mitral para seu exército. Anvhar posteriormente vem a fazer parte da ofensiva final contra as forças do poderoso dragão.
Após esses eventos, Anvhar adota uma nova montaria, um lobo, se envolve no resgate da deusa Waukeen, no abismo e vem a vencer H’Larg Mosh em batalha travada durante o casamento interrompido de Roswald em que o clérigo abre portal para Nishrek e desafia o anão.

Frustrado com a derrota e temente por uma eventual tentativa de vingança por parte do anão, H’Larg Mosh começa, juntamente com Sinclair, a fazer os preparativos para um ritual de Aprisionar Almas, escrevendo os nomes de Anvhar, Iasha, Roswald, Snake e Fahn nas pedras preciosas necessária à magia. Nesse interim Snake, Roswald, Anvhar e Iasha discutiam sobre qual seria a abordagem apropriada para que pudessem resgatar sues entes queridos que se encontravam nas garras de Graz’zt. Durante essa discussão Anvhar manifesta a intenção de terminar de vez com H’Larg Mosh e Sinclair antes de ir de encontro ao Lorde Abissal, visto que Graz’zt houvera levado o anão a acreditar no envolvimento de Sinclair na morte da mulher de Roswald. Tal atitude é notada por Sinclair que observava os heróis de sua bola de cristal, devido a isso, H’larg Mosh e Sinclair, temendo que resolvessem atacá-los desprevenidos, vão de encontro a seus antigos companheiros e entregam as gemas aos mesmos, completando o ritual de Aprisionar Almas.

Sinclair e H’Larg Mosh roubam o corpo de Anvhar e o levam por meio de teleporte a Asbravn para destruí-lo, no entanto, nesse momento a Feiticeira, que estava presente no corpo de Snake, se manifesta e possui o corpo do Ladrão, trazendo Roswald de volta a seu corpo e levando Iasha e o necromante ao encontro de Sinclair e H’Larg Mosh em Asbravn iniciando confronto entre os membros do grupo de aventureiros. Nesse momento, Iasha mata o que se revela como sendo somente um clone de Sinclair e H’Larg Mosh derrota Iasha e o corpo de Snake, libertando a Feiticeira que acaba sendo enviada para o plano da fuga. Roswald, por sua vez, usa o feitiço de labirinto para finalmente derrotar o meio-orc. No momento em que Roswald tenta fugir com o corpo de Anvhar, o verdadeiro Sinclair aparece para detê-lo mas é impedido por Roswald, que derrota o necromante maligno em combate.

Após essa série de eventos, os aventureiros chegam à conclusão de que haviam sido manipulados por Graz’zt para que entrassem em conflito e resolvem se unir novamente. Anvhar auxilia seus colegas a resgatarem seus familiares raptados por Graz’zt, derrotando em combate, juntamente com Fahn, o lorde do Abismo, em seguida, o anão vem a adentrar em uma batalha definitiva com H’Larg Mosh em Asbravn. Por um gope de sorte, H’Larg Mosh consegue paralisar o anão e derrota-lo, arrancando um dos olhos de Anvhar como prova de sua vitória. Tal evento deixa Anvhar desiludido com seus deuses, o motivando a entrar em peregrinação em busca do Machado dos Lordes Anões, vindo a renovar sua fé ao encontrar-se com os avatares de alguns de seus deuses durante a caminhada.

Posteriormente, na ofensiva final dos aventureiros de Brightstone contra os Zhentarim, a busca de Anvhar se mostraria primordial. Sua fé renovada permitiu que Clangeddin e Marthammor o desviassem de uma teleportação para passar-lhe sua última missão: recuperar o Machado dos Lordes Anões, arma que destruiria as proteções do amálgama de Yutrashorgum com Smaug. Mal sabia o anão que, ao chegar a seu antigo reino em busca do poderoso artefato, teria de enfrentar um exército de desmortos formados pelos falecidos habitantes de Trothskard, raptados de seus túmulos por Fzoul Chembryl para impedir a recuperação da arma.

Após passar por tamanha provação, Anvhar é enviado à batalha que Snake, Roswald, Sinclair e H’Larg Mosh travavam contra o cadáver reanimado de Smaug possuído pelo espírito de Yutrashorgum e dá o golpe primordial na criatura, destruindo o campo de força do monstro mas causando uma violenta explosão de energia que o desintegrou, propiciando a destruição definitiva da criatura por seus colegas.

No fim, somente sobraram em seu lugar seus machados de guerra. Posteriormente, foi feita uma procissão até Trotskhad em homenagem a Anvhar da qual participaram vários anões do Norte e do Sul, lá foi selada a entrada da cidade-tumba e feito um enterro simbólico do mártir-anão.

Anvhar Trotsk

Legado do Norte bruno_baere IgorKindred